Pesquisa revela que dores crônicas afetam 30% dos idosos em São Paulo

No município de São Paulo, quase 30% dos idosos são afetados por dores crônicas. A revelação é de uma pesquisa realizada na Universidade de São Paulo (USP), que destaca ainda que as queixas mais frequentes de dores são na região das costas e dos membros inferiores.

Na pesquisa, foram entrevistados 1.271 idosos. Considerando que viviam em São Paulo 969.560 idosos no ano de 2006 – segundo dados do estudo Saúde, Bem Estar e Envelhecimento (SABE), conduzido pela Faculdade de Saúde Pública da USP –, trata-se de uma amostragem bem representativa. Além do mais, a pesquisa sorteou habitantes de todos os distritos do município.

Dos entrevistados, a porcentagem daqueles que apresentam dor crônica foi de 29,7%, o que representa em torno de 300 mil idosos em São Paulo. A pesquisa considerou idosos aqueles com mais de 60 anos e dor crônica aquela que persistia por mais de seis meses. Entre outros resultados obtidos, a pesquisa identificou que a maioria dos casos (66,5%) ocorre em mulheres e os idosos afetados têm maior dependência nas atividades diárias e menos mobilidade. E isso pode ser explicado pelas dores serem mais frequentes na região lombar das costas e nos membros inferiores ou nas pernas.

Dor aguda e dor crônica

À medida que ficamos mais velhos, qualquer dor deve ser sinal de alerta e não pode ser negligenciada. Isso porque a dor pode ser aguda, ou seja, pontual e incômoda por pouco tempo. Ou pode ser crônica, sendo contínua por mais de seis meses. De qualquer forma, a dor deve ser tratada adequadamente.


Imprimir   Email