Estudo brasileiro demonstra que natação reduz a dor e melhora a qualidade de vida de pacientes com fibromialgia

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) revelou que a natação melhora a dor e a capacidade funcional de pacientes com fibromialgia. De acordo com os pesquisadores, o exercício físico é um fator fundamental em qualquer tratamento para a fibromialgia.

A fibromialgia é uma doença que afeta cerca de 5% das mulheres e que causa dor e sensibilidade musculares por todo o corpo. E muitos estudos já haviam demonstrado que os exercícios aeróbicos de baixo impacto oferecem o máximo de benefícios aos pacientes com a doença.
É um consenso entre os médicos que o tratamento para a fibromialgia deve combinar medicamentos para a dor crônica, antidepressivos para a angústia emocional e exercícios físicos regulares para ajudar a controlar doenças coexistentes, como a artrose.
O objetivo do estudo brasileiro foi avaliar o efeito da natação sobre a dor, a capacidade funcional, a capacidade aeróbica e a qualidade de vida em 76 pacientes com fibromialgia. Os pacientes foram divididos em dois grupos: um grupo de natação e um grupo de caminhada.
Os dois grupos foram submetidos a sessões de treinamento supervisionado por especialistas em reumatologia três vezes por semana ao longo de 12 semanas. Após esse período, conforme análise, os dois grupos apresentaram melhora da dor – melhoras equivalentes –, não havendo diferença entre eles.
Na conclusão dos pesquisadores, a natação se mostrou tão benéfica quanto a caminhada (cujos efeitos positivos há haviam sido comprovados). Portanto, a natação é um método eficaz para reduzir a dor e ainda melhorar a capacidade funcional e a qualidade de vida em pacientes com fibromialgia.

Fonte: Archives of Physical Medicine and Rehabilitation


Imprimir   Email